20090314

Temporal



“Vem, dançamos?”
“Pois, não! O prazer é meu.”
Ele a enlaçou.
E, no calor do abraço,
A beijou.
Ela mordeu, bateu,
Arranhou.
Ele riu, gargalhou.
Ela chorou…
Ferveu!

(M. Fa. R. - 07.03.2009)

13 comentários:

Mário Margaride disse...

Olá!

Obrigado, pela visita e comentário.

A dança, propicia muitos encontros. E muitos deles, são vedadeiramente escaldantes!

Beijinhos

Bom domingo!

Mário

Laura disse...

Ai, dançar? agora? juro que tô que nem posso!... Andei na slides da cozinha, de manhã, e de tarde corri Braga com uma amiga, mandavam-nos daqui prá li, d elá pra cá e nunca para o sitio que queriamos encontrar e assim; tô derreada...
Bonito poema. Um beijinho da laura..

A.S. disse...

A dança das sensações é tão doce como imprevisivel!...


Lindo o teu poema!


Um beijo...

Ana Martins disse...

Uma dança tempestuosa e revoltante!!!!!!!!


Beijinhos,
Ana Martins

Amaral disse...

Não é apenas bonito este curto poema: é Belo!
Daqueles que apetece ler, chegar ao fim com tristeza porque acabou, mas saber que o pode ler e reler quantas vezes quiser!!!...

meus instantes e momentos disse...

ferveu....
parabens pelo teu blog.
Maurizio

Jorge Freitas Soares disse...

Há quanto tempo não danço?... também nunca tive muito jeito... para a dança claro... que para amar.... :-)

Obrigado pelas visitas e pelos sempre simpáticos comentários.
Jorge

Nuno G. disse...

gostei da tua simplincidade bela...

tinta permanente disse...

Gostei. Parece, sem razão aparente, um poema de Carnaval. Talvez porque um e outro também têm cinzas...

abraços!

ADiniz disse...

Adorei a doce dança!

Bjinhos daqui do sul do Brasil

Rubens da Cunha disse...

ela é bem melhor do que ele.
belo texto

poetaeusou . . . disse...

*
bela tela,
melhor poema
,
e dança, bailando
a valsa do olhar
na musica flutuando
em libido apogeu
teu corpo no meu
cingido, valsando,
,
um baile de conchas, te envio,
,
*

Paula Raposo disse...

Uma dança! Uma gargalhada...chorar! Quem não ferve assim??!! Beijos.