20100607

Das ovelhas não reza a estória - versão II - ou Uma estória de chacais



Ah, como eu gosto deles!
Não. Não e não!
Não sei nada.
Já não enxergo nada de nada.
Tudo o que antes me fascinava morreu.
Só uma alcateia de chacais me traz cativa.
Como tudo neles é belo!
Até se me afigura ficção!
Os seus olhos reflectem a luz do sol em raios de serenidade.
E harmonia.
E das suas vozes soltam-se arco-íris em bolas de sabão!
Ah, e então, até se quedam mudas as avezinhas ao ouvi-los uivar,
E se inclinam reverentes os verdes trigais ao vê-los atravessar!
Mas lembra-me desistir…
Uma dor sobrevoa-me as notas musicais
E não me deixa cantar tudo o que me morre na garganta.
É como uma sombra que me desfaz os acordes
E os tolhe de se expressarem em flor,
Em amor, em luz, em ilusão, em alimento.
Sim, é uma dor que se mistura com um grito e o seca.
Dor, angústia, revolta…
Então, não é que anda aí uma desmesurada corrosão
Em relvados que se enchem de buracos
E se vestem de degradação?!
É que é quase obsceno algum ódio de estimação!
Sugere-me uma sorte de castração…
Como se alguém que cala mais alto!
E ninguém entende a minha quietação,
O mutismo que estou a sentir!
É muito, mas hei-de singrar e mandá-los ganir!

(M.Fa.R. - 26.05.2010)

10 comentários:

DE MÃOS DADAS disse...

Amiga Fa
"Felizes os que praticam o direito e a justiça em todo o tempo.
Salmo 196:3".
Nós podemos mudar em nós coisas que não nos agradam mas mudar os outros só eles o podem fazer.
Vamos mudar o nosso olhar em relação aos outros...
Dificil?...Mas não impossivel apenas uma tempestade... não é um dilúvio...
Gosto imenso deste desabafo que coisa maravilhosa escreves
Obrigada

poetaeusou . . . disse...

*
Huauuuuu,
adorei,
e sem palavras
fiquei . . .
,
conchinhas, deixo,
,
*

Rubens da Cunha disse...

eu também hei de mandá-los ganir... belo poema

RETIRO do ÉDEN disse...

Excelente poema...aplaudo de pé.
Forte abraço
Mer

Há.dias.assim disse...

Vive em sintonia contigo própria que o resto virá por si!

Cadinho RoCo disse...

No viver as dores pastam pelas várias partes do nosso corpo.
Cadinho RoCo

Ana Martins disse...

Boa tarde Fá-Menor,
lindo, excelente, um desabafo cheio de garra.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

mfc disse...

Um poema narrativo que se afigura uma descrição e qyue de repente se transforma num verdadeiro e sentido grito de alma!
Gostei muito...

Nilson Barcelli disse...

Fabuloso.
Nem tenho mais palavras para caracterizar o teu texto.
Parabéns pelo teu talento.
Querida amiga Fá, bom resto de Domingo e boa semana.
Beijos.

Lilá(s) disse...

Um poema que narra muito bem o grito interior! bonito!
Bjs