20100322

Luar



Sim, eu sei como o sol faz brilhar a lua cheia!
Não, não é disso que eu falo…
Era uma lua banhada de luz estonteante. Uma lua hidratada de cosmos, irradiando raios multicolores. Escreveu nela um arco-íris em manhã de primavera, soletrando pétalas de alfazema e de jasmim. E a voz do vento sussurrou-lhe poemas de calor e de esperança num mundo melhor. Mas vieram marés negras de ondas alterosas que galgaram dunas e lhe desfizeram pontões em guerras de alecrim e manjerona. Doeu o fundo do mar. Cantou a sereia e fez chorar. Chegou até ela o grito da natureza que lhe abalou os corais, mas resistiu e redesenhou o luar.

(M. Fa. R. - 09.01.2010)