20110826

Investida



(Rose Waine, News Of The Red Umbrella in sweetscissorlips)


A noite zangou-se. O calor era-lhe demais – trinta e cinco graus medidos no termómetro do tablier, ao estacionar à porta de casa. Ia haver descida de temperatura, tinham afiançado. No entanto, nunca estivera tão quente ao cerrar da noite. De onde se soltava aquele bafo de fogo? Havia, por certo, algum touro monstruoso encoberto. Não, não um, mas um cento, que aquele resfolegar manhoso, que se ouvia perto, não era só do vento. E nisto, pelos ares, um mundo de lixo em movimento. Em investida. A noite zangou-se. Revoltou-se. Uma tourada é sempre violenta. Sangrenta. Um espectáculo medonho e cruel a que muitos assistem como se fosse cinema de cordel.
E vai o touro de levantar nos cornos tudo de revoada. Atira pelos ares o que encontra pela frente. E a gente teme o pior. Porque não há calor que não dê em frio. É que quando uma coisa aquece demasiado tem que rebentar por algum lado.

12 comentários:

Baila sem peso disse...

Menina musical
uma prosa poética sem igual!!
Linda esta investida
com a natureza vestida
de um termómetro de vida...

Beijo e desculpa as ausências

(estive a ler por aí abaixo...
sempre que aqui venho
fico cheia de música
seja ela valsa ou tango
milonga ou fandango...
gosto da forma como a pauta
é escrita...melodia bonita!):)

mfc disse...

Também sinto essa espécie de aflição que essas baforadas nocturnas sempre me provocam!

AC disse...

Fa,
Excelente texto, com um epílogo adequado às circunstâncias que vivemos.

Beijo :)

sandrafofinha disse...

uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

eu detesto tourada,detesto touros.

concordo plenamente contigo,acho tudo muito violento e sangrento tambem.

tourada é um espectaculo que eu detesto assistir e ver.

beijinhos e um bom fim-de-semana!!

Ailime disse...

Amiga Fá,
Um texto como sempre muito bom e relatando o que de momento se está a passar pelo mundo em metáforas muito oportunas.
Beijinhos,
Ailime

Graça Pires disse...

Um texto muito bom. Cheio de outros sentidos...
Beijos.

tecas disse...

Os meus parabéns pela forma subtil da sua escrita. Vária intrepertações...
Muito bom.
Saudações poéticas.

Mar Arável disse...

... e vai

rebentar

Olinda Melo disse...

Uma metáfora que é o filme das nossas vidas...

Beijo

Olinda

Mário Margaride disse...

Belo texto, minha amiga. Reflecte na perfeição, o nosso dia-a-dia.

Beijinhos e bom domingo!

Mário

Nilson Barcelli disse...

Vivemos demasiado tempo nos cornos do touro...
Belíssimo texto, gostei imenso.
Querida amiga, tem uma boa semana.
Beijos.

© Piedade Araújo Sol disse...

esperamos que não rebente...

beij