07/08/2011

Quando as ondas do mar se transformam em gaivotas



Foto: Eider Oliveira


Ao cair da tarde
As ondas do mar transformam-se em gaivotas

A poesia veste o areal
E a praia converte-se
Obedecem os barcos ao chamamento do mar
E as redes mudam-se em peixes a pular

Movem-se em corrupio para ver
Pessoas sôfregas em alvoroço
E uns compram a dez outros a cem
Que esta poesia também é para comer

Entretanto ressoa o marulhar turbulento
E no lastro doirado estendidos
Plebeus panos sorridentes
De voluptuosos reflexos coloridos

Debaixo do azul reluzente
No oiro espelhado da areia
Constroem em risos castelos crianças
Vigiadas pelos olhares das sereias

E ora ao banho na hora
Da festa ondulante magia
No sal que jorra e sacia
Corpos e almas afora

Tinge-se em momentos de branco o céu
Quando as nuvens se enxameiam
E novamente de luz
Assim que elas se retiram

E é ao cair da tarde
Que as ondas do mar se transformam em gaivotas
Ao transfigurar-se o sol em bruma
E eu rendo-me à sonolência
Quando o mesmo bando
Se desfigura em espuma



16 comentários:

  1. ao fim da tarde, quando o sol se despede é realmente a hora de todas as transformações. Goste do poema e gostei de aqui vir.
    Obrigada pela visita lá em casa.
    Bjs.
    M.M.

    ResponderEliminar
  2. Que linda tarde de sol na praia nos trouxeste hoje!
    Fiquei seduzido.

    ResponderEliminar
  3. O fim de uma tarde de Verão na prai é das coisas melhores que posso desejar...lindo o teu post!
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. As ondas, as gaivotas, a areia e a espuma branca.
    É lindo o mar mesmo envolto em ondas, mesmo tenebrosas.
    As gaivotas voam?
    O destino é esse voar mesmo ao pôr do sol.
    Beijinhos amiga
    Utilia Ferrão

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito

    do seu marulhar

    ResponderEliminar
  6. Lindo poema!! Adorei ler!! Um beijo e uma boa semana para ti!!

    ResponderEliminar
  7. gostei deste poema que me diz muito.

    quase que se consegue "ver" o mar.

    a foto muito bem escolhida!

    beij

    ResponderEliminar
  8. Ao cair da tarde há mais poesia na praia...
    Bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  9. Linda poesia do mar e das gaivotas. Uma viagem!!
    Beijos,
    Carla

    ResponderEliminar
  10. Um poema onde nos chega tudo o que o verão representa.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  11. Que belo poema e que belas imagens! E é ao cair da tarde que sinto o apelo do mar. Serão as gaivotas a chamar-me?

    Beijinhos

    Bem-hajas!

    ResponderEliminar
  12. Ensinas-me a brincar com as palavras.. em verso?!
    Bjo

    ResponderEliminar
  13. e é ao cair desta tarde que me (en)torno neste poema de mar e (a)mar em suaves marés de espanto. meu.
    beijinho

    ResponderEliminar
  14. Belos versos.
    Te aguardo la no nosso canto de informação e amizade.
    Ate...

    ResponderEliminar
  15. Versos perfeitos.
    Amo poesia. Venha conhecer nosso blog de amigos.
    Bj

    ResponderEliminar
  16. Lindíssimo o teu poema. Agora, ao olhar o mar ao fim da tarde poderei espiar as ondas se transformarem em gaivotas.

    ResponderEliminar

«a vida, a meu ver, é polarizada entre a prosa – ou seja, as coisas que fazemos por obrigação, que não nos interessam, para sobreviver – e a poesia – o que nos faz florescer, o que nos faz amar, comunicar. E é isso que é importante.»
(Edgar Morin)

poderá também gostar de:

Tons Maiores: