18/04/2011

Como Escrever Ternura? 




Quero escrever ternura, sempre ternura. Em suaves afagos de algodão. Na meiguice de um olhar límpido ou turvado de sal. No sorriso alegre, ou naquele que transparece de um nó na garganta que sobe do coração. Na manhã de orvalho, na tarde amena e calma, ou na noite ventosa e sem luar. Na paz e tranquilidade do lar, ou nas ruas de amargura. Na fofura de um sapatinho de criança, ou na boina encardida de um velhinho.

A ternura é um anjinho que te vela o sono; é o teu abandono em braços protectores; são os cobertores que te aconchegam no frio; é o rio de água doce que te escorre no corpo. É um doce, às vezes amargo. É um trago de frescura, de candura. Ternura é essa vontade de mimar… de se derreter em bolas de sabão… é escrever amor, e muitas vezes dor, no íntimo do coração.

O que é a ternura e o que é que se faz com ela?

( Um Desafio da Fábrica de Letras )


19 comentários:

  1. A ternura é e será sempre uma dádiva, um verdadeiro bálsamo para quem a dá e a recebe.
    Aliás, deixe que lhe diga, o seu texto é autêntica ternura...

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito da tua definição... =)

    ResponderEliminar
  3. Perguntas o que é a ternura?! É fazermos os outros sorrirem encantados... tal como fiquei depois deste post tão terno.

    ResponderEliminar
  4. ... é olhar um pássaro nos olhos

    e voar com ele

    ResponderEliminar
  5. Querida Fa

    A ternura é tudo aquilo que o texto nos transmite, com tanta sensibilidade. São palavras em que me revejo e que me tocam o coração.

    Feliz Páscoa.

    Beijo
    Olinda

    ResponderEliminar
  6. Olá, amiga, como estás?

    Bela a profundidade com que escreves esta prosa!
    Ui...a ternura é algo de belo e intenso, muitas vezes sem explicação...

    Nos meus 2 blogues fiz festa de aniversário e convidei todos os amigos para estarem comigo, ao menos, nesse dia...
    Gostaria que tivesses ido ver as festas que organizei nos blogues.
    Ainda estás a tempo!

    Mas os dias voam e já estamos na Páscoa, por isso, hoje passei simplesmente para desejar BOA PÁSCOA!

    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Tocou-me a sensibilidade que se liberta do seu texto!
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  8. Olá, boa noite!

    Venho também desejar

    Boa Páscoa para si!

    ´Bjjs

    ResponderEliminar

  9. "Ternura é essa vontade de mimar… de se derreter em bolas de sabão… é escrever amor, e muitas vezes dor, no íntimo do coração."

    Já disseste tudo neste magnífico texto. Parabéns pelo talento que revelas nas tuas palavras. Gostei muito.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  10. Sabe...
    eu também não comemorei.

    Fiquei em casa!

    Saudações democráticas!

    ResponderEliminar
  11. Este é um texto que nos acaricia dos pés à cabeça...até a alma!Amei!!bjs

    ResponderEliminar
  12. Não compreendo porque razão os comentários que coloco aqui se vão assim descaradamente não sei para onde sabem dizer-me?
    Bem ternura é mesmo isso uma seiva que corre dum Amor sem medida
    O texto é lindo.
    Aproveito para desejar uma continuação de boas Festas Pascais
    Beijinhos da utilia

    ResponderEliminar
  13. Amiga Fá,
    Muito belo este texto e o seu conceito de ternura.
    Gosto muito de lê-la.
    Bem-haja pela pessoa especial que é.
    Um beijinho, com a minha ternura:))
    Ailime

    ResponderEliminar
  14. Lindo! É assim mesmo que se escreve TERNURA!
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  15. ternura é isso tudo, e mais que escrever, é sentir, sentir e sentir.

    belo texto.

    bom domingo!

    ResponderEliminar
  16. Anónimo17:18

    Muito interessante o post!

    ResponderEliminar
  17. Um texto poético muito belo, Fá.
    E, sim, Ternura é precisamente como descreveste...
    Feliz fim de semana. Abraços
    ~~~

    ResponderEliminar
  18. Um texto terno, uma prosa poética e considero como disse: uma vontade de mimar, de agradar. De fazer o mais docemente possível um gesto, uma ação que sai do coração para atingir ao outro coração. Boa noite

    ResponderEliminar
  19. Maravilhosas definições de ternura, que adorei por aqui descobrir e apreciar, e que muito me sensibilizaram!
    Mais uma vez, saio daqui rendida a cada uma das suas palavras, Fá!
    Um beijinho grande!
    Ana

    ResponderEliminar

«a vida, a meu ver, é polarizada entre a prosa – ou seja, as coisas que fazemos por obrigação, que não nos interessam, para sobreviver – e a poesia – o que nos faz florescer, o que nos faz amar, comunicar. E é isso que é importante.»
(Edgar Morin)

poderá também gostar de:

Tons Maiores: